Perfil e Opinião: Fernanda Carvalheiro Busz

Por Fernanda Carvalheiro Busz
Perfil e Opinião

Moro na Alemanha há 12 anos. Meu marido é alemão e não fala português. Nosso idioma em comum é o inglês e, por motivos pessoais, resolvemos continuar a falar inglês mesmo depois de eu ter aprendido o alemão. Temos 2 filhos: Roberto, de 7 anos e Camila, de 5 anos. Em casa escolhemos intuitivamente o método onde cada um fala com os filhos em sua língua materna, seja onde estivermos, e na frente de quem for. Sou a única falante de português presente todos os dias na vida deles, não temos amigos brasileiros que moram por perto. Nunca sequer passou pela minha cabeça falar outro idioma com meus filhos, que nao o português. Mesmo com uma grande torcida contra, mesmo com cobranças dos familiares alemães, que aliás acontecem até hoje.

Os dois falam português muito bem e sem nenhum sotaque. Quando estamos no Brasil as pessoas não percebem que eles moram em outro país. Falar outro idioma nunca atrapalhou a vida social deles por aqui. Meu filho está terminando o primeiro ano escolar, foi alfabetizado em alemão e lê muito bem, inclusive em português. E com uma naturalidade incrível. Sua professora nunca viu nenhum problema em ele aprender alguns fonemas em português paralelamente com a alfabetização na escola, e ele nunca confundiu os idiomas. O fato de dominar a língua falada deixou o aprendizado do português escrito fácil.

Livros, CDs e DVDs em português fazem parte da nossa rotina diária. Temos um acervo de livros infantis em português bem rico aqui em casa, e os livros estão ao alcance das crianças na estante, eles podem pegar o que quiserem. Temos inclusive alguns livros nos dois idiomas, o pai lê em alemão e eu leio em português. E temos o hábito da leitura de um livro todos os dias antes de dormir. Na maior parte das vezes eu leio pra eles, mas muitas vezes quem lê pra gente é o meu filho.

Eu nao conheço músicas infantis em alemão, então eu canto em português. Aqui em casa nao é raro estar tocando Os Saltimbancos, A Arca de Noé ou Palavra Cantada. E muitas das músicas eles sabem e cantam juntos.

Telefonemas via skype com os avós e os tios são frequentes.

Ou seja, incentivo é o que não falta. Mas falar português nunca foi visto aqui em casa como uma obrigação. É algo natural, é a língua em que nos comunicamos, é a língua inclusive que os dois escolheram para se comunicar. Pode ser que isso mude um dia, mas por enquanto eles falam entre si em português e é tudo muito natural.

Pra mim é importante que os meus filhos falem bem o português. Porque é esse o idioma em que eu melhor consigo me expressar emocionalmente. E essa razão já seria, sozinha, suficiente pra mim. “Ich habe dich Lieb” ou “I love you” não tem a mesma carga emocional como tem o “eu amo você” quando eu converso com eles. Sim, elas significam absolutamente a mesma coisa, mas há de se TER uma intimidade com a língua em que se fala. E quando eu falo com as crianças e eles comigo, é no português que nos expressamos com maior intensidade.

Mas há outras razões importantes para que eles aprendam o português. Essa é a única forma de comunicação com nossa familia no Brasil, primos, tios e avós. Os avós ficam maravilhados ao ver os netos cantarem músicas infantis em alemão, e as músicas em português são cantadas por todos nós. Sem contar que é preciso conhecer o idioma para que eles entendam a cultura do Brasil do jeito que um brasileiro entende. E para que possam participar das brincadeiras que as crianças fazem quando estamos lá.

Agora, independente do vínculo emocional, o aprendizado de qualquer idioma é positivo. Falando português, eles terão facilidade em aprender espanhol, italiano, francês, ou qualquer outra terceira língua, pois quanto mais idiomas se conhece, com mais facilidade se aprende o próximo. Só que para aprender esses outros idiomas eles terão de se esforçar, enquanto no português o aprendizado é espontâneo, corriqueiro, e tao natural quando comer, beber e dormir todos os dias. É uma oportunidade valiosa, não pode ser despediçada.

É uma herança que eles vão levar para o resto da vida, e no futuro poderão optar por usar ou não, tirar proveito dela ou não. Minha missão de ensiná-los está sendo cumprida, e esse é um dos meus maiores orgulhos, o resultado que eu posso ver e apreciar todos os dias.

familypicture

Anúncios

20 comentários em “Perfil e Opinião: Fernanda Carvalheiro Busz

  1. Lindo o texto! Tem 90% (coisa de engenheira essa de colocar números em tudo) de semelhanca com a nossa família, com as únicas diferenca sendo que falo alemao com meu marido e por enquanto temos um filho só. Mas em compensacao meu marido assiste a galinha pintadinha com o Alex e canta junto. A música preferida dele é a dos elefante, é uma piada 🙂 Relatos assim me dá forca em seguir adiante, mesmo sendo a única a falar português diariamente com o Alex.

  2. Melhor presente que voce esta dando aos seus filhos. Quando eu vim para USA, meus filhos eram pequenos e eu fiz exatamente o mesmo que voce. Eu e meu marido decidimos que em casa, só o português. Parabéns!

  3. Maravilhoso, meu filho tem 5 anos e tb fala português perfeitamente apesar de morarmos nos Estados Unidos. Fico muito orgulhosa ao vê-lo brincando e conversando com os primos e avós com facilidade. Não é fácil já que está exposto a outra lingua o tempo todo mas com boa vontade conseguimos, não é? Um abraço!

  4. Parabéns, Fernanda! A perseveranca é o mais importante… Minha história é bem parecida com a sua. Também tenho um filho, 6, e uma filha, 5, e a rotina envolvendo o português é bem no estilo da sua. Tenho, contudo, a vantagem de ter tido meus filhos, nos últimos anos, em uma creche e jardim de infância teuto-brasileiro, onde eles vivenciam a cada dia um pouco da cultura brasileira. Implemento o projeto da “Mala de Leitura” e isso dá oportunidade às criancas de outros brasileiros terem acesso a novos livros em português e a melhorar o vocabulário. Você nao quer influenciar outras maes ao seu redor com seu belo exemplo? Promova um debate utilizando o documentário “Brazil com S”. Vale a pena. É super gratificante. Um abraco!

  5. Historia linda que funciona com a maioria que quer e insiste que os filhos falem a lingua materna dos pais, mas nao com todos. Sou fluente em Ingles, formada em Portugues e Italiano pela USP, falo bom Espanhol e ainda consigo ler textos em Frances. Meu marido e’ americano, tentei so’ falar Portugues com meu filho os tres primeiros anos e depois mais tarde, nao adiantou. Minha historia e’ muito longa, mas quando voces virem uma crianca APARENTEMENTE normal mas que nao fala Portugues, ou qualquer que seja a lingua da mae, nao julguem a mae, por favor. Hoje meu filho e’ adulto e estou cansada de ser criticada e ter que me explicar e/ou me defender constantemente por uma situacao que eu adoraria ter sido diferente.

  6. Parabéns! Essa é a heranca nata que podemos dar aos nossos filhos.Minha filha com 8 anos também só fala portugues comigo e alemao com o pai, apesar de eu falar o portugues com meu marido, mas mesmo assim acho que todas as maes deviam despertar o interesse da crianca em falar portugues se interessarem com a nossa cultura.A minha filha tbem canta as músicas , já escreve e lê muitas coisas em portugues, fico muito feliz com isso pois só tem a ganhar.

  7. Muito legal, mas bem q eu tentei e nao deu certo ( no passado ! ), meus dois filhotes chegaram numa idade , la pelos 10-12 anos e nao queriam q eu falasse portugues com eles por se sentirem envergonhados diante dos amigos q nao entendiam a lingua…e como só íamos ao Brasil a cada 2 -3 anos entao foram desaprendendo…mas hj a esperança voltou, o mais velho ( 19 anos ) móra ha 1 ano na Espanha e disse q ajudou muito o portugues q ele lembrava pra ele aprender espanhol ! e o mais novo ( 16 anos ) depois q arranjou uma namorada francesa! percebeu como é bom saber falar outras linguas! alem do q os dois querem fazer um intercambio no Brasil , entao afinal nem tudo esta perdido!!!

  8. Parabens !!! Muito feliz por teus filhos….. Morei 25 anos nos EUA e acabo de voltar ao Brasil !!!! Se nao tivesse insistido e feito meus filhos falarem Portugues, o que seria deles hj ???? Estao com 25 e 28 anos respectivamente, ambos vieram para Sao Paulo ja empregados !!! Este com certeza foi um grande tesouro que eles soh entendem o valor agora !!!! Falar idiomas te abre portas para tantas oportunidades ….. Hj eles falam ingles, Portugues, Espanhol, Italiano e Frances ! O mundo eh deles para explorar sem restricoes !!!!

  9. Parabens!!! Vivo fora do Brasil ha 17 anos ! Hj com 24 e o outro com 21,
    falam e escrevem perfeito! Me irrita ver filhos dos amigos brasileiros enrolando a lingua pra falar portugues!!!

  10. Parabéns Fernanda, aqui em casa eu também estou tentando. Mas o meu guri do meio desde que entrou na escola, ñ quer mais falar português. Quando ele começa a falar em alemão faço que ñ entendo. Mas Parabéns pelo belo texto e tb por estar passando nossa cultura para teus filhos.

  11. Excelente texto. É mesmo nosso trabalho preservar nossa língua com nossos filhos, concordo plenamente que eu não poderia me expressar melhor em nenhuma outra língua que não fosse a minha. Aqui em casa somos 5 (eu, meu marido e 3 filhos); eu já tinha dois filhos que nasceram no Brasil quando me casei e meu marido tinha 1. Moramos em Barcelona e aqui se fala catalão e espanhol. Em casa falo com os 3 em português, eu não poderia ser mãe em outro idioma. Resultado: até o filho do meu marido fala português perfeitamente (quando eu o conheci ele tinha 7 anos e hoje tem quase 11). Isso foi bom pra todo mundo, cada um preservando sua identidade e as crianças ganhando mais formas de se expressar!

  12. adorei o texto, moramos na franca e falamos português em casa, e temos 2 filhos a mais velha com 12 anos e o mais novo com 8 anos e falam perfeitamente português e frances além disso minha filha de 12 anos fala bem ingles e tem um bom conhecimento de alemao e latin, eu particularmente axo muito importante ter o conhecimento de varias linguas, seria bom q tds as familias brasileiras no exterior nao deixassem perder a lingua brasileira q é tao rica e bonita

  13. Parabéns pela iniciativa! Aqui estou passando por algo parecido: moramos na China, mas todos que conhecemos falam inglês, os habitantes falam chinês, eu e meu marido português, e também gostaria de ensinar francês à minha filha de 1 ano e meio, pois falo bem tb. Tenho medo que dê um nó na cabecinha dela… Alguma dica? Obrigada, Vanessa (aurevoirblog.com)

    1. Vanessa, eu acho que cada pai ou mae deveria ensinar o idioma materno para o filho. Porque é a lingua em que melhor nos expressamos, que menos cometemos erros. Mas se o Frances também for sua língua materna, e for (quase) livre de erros, minha sugestao é que vocês utilizem o método uma pessoa – um idioma, assim a crianca terá sempre um adulto como referência de cada idioma. Mamae: francês, papai: português, escola: chinês. Eu acho que uma crianca é capaz de crescer trilingue sem dar nó em sua cabeca, mas é preciso esforco e dedicacao dos pais. Leitura (cada um no idioma escolhido), musicas, filminhos na TV, conversas telefônicas com familiares…. todo e qualquer incentivo faz a diferenca!
      (Veja bem, eu nao sou especialista no assunto, só tenho por base a minha experiência pessoal e a de alguns amigos!)
      Boa sorte!

  14. Simplesmente AMEI! Eu moro na Áustria e meu marido é austríaco e eu penso da mesma forma que você. Nós nos comunicamos em iinglês e alemão, mas quando eu tiver meus filhos só falarei com ele em português e meu marido em alemão!!! Parabéns e que Deus continue abençoando você e sua família!

  15. Moro na Australia e meu marido e ingles e eh muito dificil falar portugues e ingles ao mesmo tempo. Por causa da minha saude ruim e do problema de amizades, e construcao de casa ficou bem dificil. Mas nao desisti nao. Elas falam o portugues enrolado mas falam. Agora elas estao com 7 e 5 anos. A mais velha entende tudo. Eu uso musicas infantis, dvds, livros estou usando varias coisas online. Nao julgo as pessoas pois eu sei q cada familia tem uma dinamica diferente mas concordo q nao consigo me sentir proxima as minhas filhas em ingles tanto qto em Portugues. Por isso eu vou imprimir isto e colocar na parede pra eu nao desistir!!! Bjs

  16. Sim, é muito importante que os pais se comuniquem com os filhos na língua em que se sentem mais a vontade eisso que vc falou do vínculo com a família no Brasil tb é importante. Mas tenho uma curiosidade: seus filhos começaram a falar normalmente? Pois todas as pessoas que eu conheço que vivem entre duas línguas, os filhos começam a falar BEM tarde. Geralmente assim que começam a falar tudo corre bem, mas conheço muitos casos em que a criança tinha dificuldades na língua do país em que vive, aí teve que ir ao “fono”. E meu marido trabalha em escola e vê diariamente a dificuldade das crianças que falam uma outra língua em casa que não seja a falada na escola (o que vai contra o mito de que TODAS as crianças aprendem a falar sem dificuldades). Como ainda não tenho filhos, sou bem interessada pelo assunto! Agradeço desde já!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s