O aprendizado de várias línguas

Texto original publicado em francês pelo site Naître et Grandir e traduzido para o português por Fernanda Aguilar (contribuinte do mês para o blog Brasileirinhos)

Sempre ouvimos que as crianças são como esponjas e que podem facilmente aprender outras línguas. É verdade, desde que elas sejam expostas a contextos variados e motivadas a aprender.

O desenvolvimento da linguagem de crianças expostas à duas línguas
O período pré-escolar é propício à aprendizagem de línguas por causa da capacidade de adaptação do cérebro da criança. Além disso, crianças pequenas distinguem e reproduzem os sons mais facilmente. Isso permite que elas falem sem sotaque.

Alguns pais acreditam que a aprendizagem de mais de uma língua causa problemas de linguagem em seus filhos. Isso não é verdade. Estudos recentes demonstram que a aprendizagem de duas ou mais línguas não provoca nem agrava problemas de linguagem que já existam.

Desta forma, uma criança que é exposta frequentemente a 2 línguas desde o nascimento, fala suas primeiras palavras geralmente por volta de um ano e faz combinações (ex.: bola caiu) entre 18 e 24 meses. Da mesma forma, uma criança de 5 anos que é exposta regularmente a duas línguas terá um desenvolvimento da linguagem semelhante as que falam uma só língua.

pequeninos

No entanto, é bastante comum que uma criança bilíngue não tenha a mesma fluência nas duas línguas. Por exemplo, ela pode produzir frases melhor construídas em uma língua e utilizar um vocabulário mais preciso e mais rico em outra língua. O importante é considerar o conjunto das frases e palavras produzidas nas duas línguas. É desta maneira que podemos avaliar se o desenvolvimento da linguagem de uma criança bilíngue é normal, e não avaliando as competências linguísticas de somente uma língua.

A criança pode misturar as duas línguas em uma mesma frase quando ela não conhece a palavra. Isso é um fenômeno normal que observamos também em adultos bilíngues. Não é necessário preocupar-se. O domínio da língua pode variar e mudar com o tempo, dependendo do contexto no qual a criança a utiliza e das pessoas a quem se dirige.

Desta forma, ela pode utilizar e dominar melhor uma língua mais cedo do que a outra durante algum momento de sua vida (ex. língua falada em casa aos 4 anos) e ter um melhor domínio na segunda língua em uma outra fase (ex. no segundo ano primário).

guia

Aprender 2 línguas: as influências
Muitos fatores influenciam a aprendizagem de duas línguas e a escolha da língua falada pela criança: a idade, o tempo de exposição, o status destas línguas no país de adoção, etc. Ainda assim, pouco importa o contexto ou ambiente no qual a criança se desenvolve, o importante é que os pais demonstrem um sentimento de orgulho e adotem uma atitude positiva frente à utilização dessas línguas. Desta forma, a criança desejará aprender cada vez mais.

Por outro lado, é necessário também lembrar que as crianças bilingues são, acima de tudo, crianças com suas próprias personalidades, necessidades e preferências, e que elas podem fazer a escolha de uma língua ao invés da outra, independente da vontade da família.

O imigrante recém chegado e a apredizagem do francês
Para favorecer o desenvolvimento da linguagem de uma criança o mais importante é falar sobre assuntos do cotidiano. Para os pais imigrantes que falam pouco francês, é preferível falar com seus filhos na língua materna. Desta forma, eles estarão provavelmente mais preparados a falar com seus pequenos. Além disso, quanto mais a criança dominar a língua materna, mais ela terá facilidade de aprender uma nova língua.

Uma base sólida na língua materna ajudará a criança a dominar melhor a língua aprendida no maternal ou na escola.

Se a criança frequenta uma escola francófona, ela percebe que as professoras e as outras crianças não a compreendem quando ela fala em sua língua materna. É então possível, no começo, que ela fale muito pouco ou nada durante um curto período de tempo.

Pouco a pouco, ela começa a compreender as palavras, depois as frases que ela escuta. Para se fazer compreender, ela utiliza gestos, depois palavras. Com o tempo, ela será capaz de fazer frases curtas, podendo ser às vezes mal construídas.

Em geral, uma criança é capaz de ter uma conversa com outra da mesma idade depois de 1 à 3 anos de exposição regular e diversificada à uma nova língua. Observamos o mesmo quando uma criança entra na escola sem falar francês.

Estratégias para desenvolver a aprendizagem de uma outra língua
Para que uma criança possa se comunicar fluentemente em duas línguas, ela deve escutá-las freqüentemente e ter a oportunidade de falar.

Em algumas comunidades, a aprendizagem se faz naturalmente se as línguas em questão são igualmente faladas e se a criança está em contato com diferentes pessoas de sua família ou de conhecidos que falem uma das línguas ou as duas.

Ler histórias para seu filho em diferentes línguas que o cercam é um meio eficaz e divertido de estimular sua linguagem.

Se um dos pais fala francês e o outro a língua minoritária, é importante multiplicar as ocasiões onde a criança é exposta à língua minoritária. É necessário adotar uma atitude positiva em relação a esta língua para favorecer sua aprendizagem porque as crianças compreendem desde cedo que uma de suas línguas não é muito utilizada fora de sua casa. Como ela é naturalmente mais exposta à língua da maioria, a criança desenvolve a atitude de se exprimir na língua minoritária em menor escala. Isso pode levá-la a compreender, mas não a falar essa língua.

Quando os dois pais falam francês, é necessário planejamento e esforço para que o bilinguismo seja favorecido. Eles devem combinar estratégias para estimular seu filho a aprender uma outra língua. Por exemplo, o jantar acontece todos os dias em espanhol e o banho em francês ou com a mamãe falamos francês e com o papai inglês. No entanto, é preferível que os pais não misturem as línguas em uma mesma frase quando falam com seus filhos.

Quando se preocupar
Se você tem a impressão que seu filho apresenta um atraso de linguagem em comparação a crianças de sua idade na língua a qual ele foi mais exposto desde o seu nascimento, procure um fonoaudiólogo.

Se seu filho aprende uma nova língua na pré-escola, procure um fonoaudiólogo se perceber que ele se expressa pouco ou nada, mesmo depois de alguns meses de exposição ou, se perceber que seu filho tem dificuldades para se comunicar corretamente depois de 2 anos de exposição à esta língua.

Não é necessário falar com seu filho em uma só língua se ele apresentar um atraso na linguagem. Pesquisas demonstram que falar duas línguas não causa nem agrava problemas de linguagem.

truques

Mesmo que não seja possível aplicar algumas das soluções aqui apresentadas, o importante é favorecer, o mais cedo possível, um equilíbrio entre as duas línguas.

 

———-
foto FernandaEste texto foi traduzido para o português com o objetivo de ajudar os pais a compreenderem, um pouco mais, sobre o universo do bilinguismo. Sugestões e correções são bem-vindas!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s