Vamos deixar que contem, argumentem, apresentem e instruam

Ivian Destro Boruchowski, MEd
Coluna Educação Bilíngue

Post #250

No post anterior, expus minhas reflexões e sugestões sobre o que poderíamos priorizar quando iniciamos um trabalho com aprendizes de línguas de herança (LH). Propus que nossos primeiros esforços, como pais e professores de LH, seguiriam o caminho de tornar a criança capaz de descrever e narrar sua experiência cotidiana para seus pais, avós, tios e primos.  Ao ser capaz de conversar com familiares e amigos na LH sobre sua própria história, o uso da língua terá um sentido e uma experiência social real, o que será mais significativo e, consequentemente, mais produtivo para sua aquisição e aprendizado da LH.

Então, quando já são capazes de descrever e narrar as histórias de seu cotidiano, por onde prosseguir? 

Screen Shot 2015-06-29 at 10.51.11 AM

Bem, um caminho possível é aprofundar o trabalho com os gêneros narrativo e descritivo. Neste post nossa reflexão será: quais são as oportunidades que nossos filhos e alunos de língua de herança têm diariamente para elaborar um texto descritivo?

Descrever pode ser entendido como apresentar imagens por meio de palavras.

Recentemente, meu filho mais velho foi pescar com sua turma no acampamento de verão. Ele chegou muito entusiasmado em casa e aproveitei para pedir que me descrevesse o barco, os instrumentos utilizados, o lugar onde estava, os animais que viram, etc. Há várias situações que podemos aproveitar para que nossos aprendizes explorem o texto primordialmente descritivo, como exemplo fazer um diário de viagem, escrever ou contar sua autobiografia, elaborar um currículo, ler ou escrever um anúncio de classificado, etc.

Screen Shot 2015-06-29 at 10.53.54 AM

Outro possível caminho a prosseguir é explorar textos que desenvolvam a exposição de ideias sobre as coisas do mundo, como
os gêneros expositivo e argumentativo. Aqui serão aproveitadas situações como fazer uma apresentação sobre um tema, fazer entrevistas, um verbete de dicionário, uma notícia, escrever uma carta de opinião, etc.

Um gênero textual a que nossos aprendizes estão muito expostos é o texto instrucional.

O texto instrucional indica uma orientação e tem o intuito de fazer o interlocutor seguir uma ordem, seguir passos, como visto em propagandas, receitas culinárias, manuais de instruções, etc.

As possibilidades de brincar com as situações comunicativas são infinitas e é importante lembrar que os textos geralmente contem mais de um gênero textual. Por exemplo, uma receita de bolo apresenta a lista de ingredientes necessários (texto descritivo) e o modo de preparo (texto instrucional). A proposta aqui é a de tornar a criança capaz de narrar sua própria história, descrever, expor e argumentar suas próprias ideias sobre as coisas do mundo na LH.

Bem, para isso não basta oferecer textos: eles devem ser lidos, relidos, contados, recontados, produzidos, analisados, discutidos, etc. É importante que nossos aprendizes de LH experimentem produzi-los para que com o tempo se apropriem dos modos de organização de cada um desses textos e sintam-se capazes de se expressar plenamente em sua LH, seja narrando, descrevendo, apresentando, argumentando, ou dando instruções a alguém.

Screen Shot 2015-06-29 at 10.39.16 AM

Você conhece o lançamento da editora BEM, Sou chef / I am a chef? Um livro de culinária bilingue para os pequenos chefs…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s