Língua de herança é língua de criança?

screen-shot-2016-10-09-at-9-50-13-pm

 

Por Felicia Jennings-Winterle
Editorial Outubro/2016

Você já deve ter percebido que eu gosto de uma data comemorativa, não é? Por que não aproveitar a festa do mês, a notícia do dia ou o sentimento do momento para fazer uma boa reflexão?

Outubro é o mês das crianças, do Dia das Crianças. Não vou discutir a origem desse data, nem a questão do consumismo que ela pode (ou não) gerar. Não vou me deter a clichês reafirmando pela milésima vez algo que todos deveríamos ter na ponta da língua, grudado na mente que nem chiclete: “todo dia é dia da criança”, mas todo dia negligenciamos as crianças. Essas pequenas pessoas passam por absurdos em todo o mundo e, bem perto de nós, são forçadas a se tornarem, de um jeito ou de outro, mini-adultos. É realmente um papo triste e um que merece nossa atenção e discussão. Gostaria de compartilhar com você, porém, outro aspecto da infância. Sua relação com a língua de herança (LH). Afinal, esse é o tema central desta Plataforma. Continuar lendo “Língua de herança é língua de criança?”

Anúncios

Destaques da 2CPLH

II Conferência sobre PLH tem destaques como palestra da autora Ana Maria Machado e o lançamento de uma publicação pioneira

New York, 19 de maio de 2015 – A Brasil em Mente acaba de realizar a II Conferência sobre o ensino, manutenção e promoção do PLH. Neste ano, a organização contou com o apoio institucional do CLACS (Center for Latin American and Caribbean Studies) da New York University e da Academia Brasileira de Letras. O evento teve 45 participantes inscritos que vieram de 10 países, onde ensinam e pesquisam essa especialidade linguística. A autora Ana Maria Machado, ex-presidente da ABL e embaixadora da BEM, foi a oradora principal. Sua fala intitulada “Em casa na minha língua” foi transmitida ao vivo, via internet, e pode ser vista, aqui.

Outro destaque foi o lançamento de uma publicação pioneira. O livro Português como Língua de Herança: a filosofia do começo, meio e fim (compre, aqui) foi escrito por 14 mulheres que desenvolvem diferentes trabalhos há vários anos, sintetizando em 300 páginas de excelente conteúdo como é o panorama desta língua-cultura ao redor do mundo.

Autoras presentes no evento de lançamento do livro PLH: a filosofia do começo, meio e fim. Da esquerda para a direita: Andreia Moroni (capt. 1), Ana Lucia Lico (capt. 10), Ivian Destro (capt. 7), Karina Ciocchi-Sassi (capt. 4), Patricia Fincatti (capt. 5), Luciana Lessa (capt. 6), Maria Célia Lima-Hernandes (co-organizadora, capt. 4), Carine Rocha (capt. 3), Andréa Menescal (capt. 9) e Felicia Jennings-Winterle (co-organizadora e capt. 2 e 5).
Autoras presentes no evento de lançamento do livro PLH: a filosofia do começo, meio e fim. Da esquerda para a direita: Andreia Moroni (capt. 1), Ana Lucia Lico (capt. 10), Ivian Destro (capt. 7), Karina Ciocchi-Sassi (capt. 4), Patricia Fincatti (capt. 5), Luciana Lessa (capt. 6), Maria Célia Lima-Hernandes (co-organizadora, capt. 4), Carine Rocha (capt. 3), Andréa Menescal (capt. 9) e Felicia Jennings-Winterle (co-organizadora e capt. 2 e 5).

Continuar lendo “Destaques da 2CPLH”

Em casa, na minha língua

Ana Maria Machado, renomada escritora, ex-presidente da Academia Brasileira de Letras, é embaixadora da Brasil em Mente. Ela tem sido peça chave no movimento mundial pelo PLH.
Durante a II Conferência sobre o Ensino, Manutenção e Promoção do PLH (que aconteceu de 14 – 17 de maio, 2015) ela fez a palestra principal, intitulada “Em casa, na minha língua”.
Assista:

Muitas línguas…

screen-shot-2016-10-09-at-9-50-13-pm

 

Por Felicia Jennings-Winterle
Editorial

Língua… o que é isso? É esse músculo que você tem aí na sua boca, cheio de funções que te permitem saborear o mundo. É também um sistema de símbolos, de gestos, de sons e de convenções com os quais conhecemos o mundo. Como produto social a língua é tão sua quanto a que fica dentro da boca (que, ainda bem, é só uma). E você pode ter/falar/ saber/celebrar muitas línguas.

Cada língua tem um status na história da sua vida e para cada uma delas você guarda um sabor especial.

Tem a língua materna, aquela (ou aquelas) que você aprende desde pequeno, desde o primeiro encontro com quem cuida de você. Tem a língua estrangeira, aquela (ou aquelas) que é de outros lugares que você deseja conhecer, que é charmosa, que está na moda ou que, por alguma razão, alguém acha importante você aprender. Tem também a língua de herança, aquela (ou aquelas) que é sua onde quer que você vá e que pode ser dada às gerações que nasceram em terras de gente de outra língua. Continuar lendo “Muitas línguas…”