II Conferência sobre ensino, manutenção e desenvolvimento do PLH (atualizado)

É com imenso entusiasmo que anunciamos a presença confirmada da autora Ana Maria Machado (renomada autora, ex-presidente da Academia de Letras brasileira e embaixadora da Brasil em Mente) como oradora principal da conferência que a BEM oferecerá em parceria com o departamento CLACS (Center for Latin American and Caribbean Studies) da New York University entre 14 – 17 de maio. Mais uma vez convidamos professores, pesquisadores e demais envolvidos com o Português como Língua de Herança em todo o mundo para juntos discutir importantes questões e conhecer melhor o trabalho tão diverso que tem sido realizado ao redor do globo.
Participe! Saiba mais, aqui.

4150320

Anúncios

Suécia – um governo pelo PLH

Por Andrea Menescal
Coluna Pelo Mundo

sweden_640Heloiza Lundgren Ekberg mora na cidade de Karlstad, na Suécia, desde 2010. Ela é uma dentre várias professoras de português como língua materna contratadas pelas prefeituras locais. O ensino da disciplina “língua materna” nas creches e escolas na Suécia “tem como finalidade proporcionar aos alunos com língua materna diferente do sueco a oportunidade de trabalhar com outras pessoas da mesma língua e desenvolver seus conhecimentos e habilidades”, além de “incentivar o desenvolvimento da língua nos alunos com multi-identidade cultural”. Leia mais, aqui.

Esse é um caso interessante em que o português como língua de herança é mencionado como sendo língua materna porque se refere à língua falada em casa, ou melhor, língua de convivência no lar com pelo menos um de seus responsáveis.

Blog Brasileirinhos – Heloiza, explique-nos como funciona esse sistema de apoio à língua materna?
Heloiza Lundgren Ekberg- Sou contratada pela prefeitura da minha cidade para dar aulas de português às crianças que tem o português como língua materna. As regras diferem de cidade para cidade mas, no geral, funciona da seguinte maneira: A prefeitura contrata uma professora a partir do momento que se tem 5 crianças que falem aquela determinada língua. Na minha cidade, Karlstad, temos 65 professores de língua materna e um total de mais de 33 línguas. Quando a criança tem entre 2 e 5 anos e está na creche, ela tem direito a uma hora de aula por semana. A partir dos 6 anos, ou melhor, quando ela entra na escola, essas aulas passam a ter a duração de 45 minutos. Esse tempo aumenta um pouco caso haja mais crianças na mesma escola ou creche.

Continuar lendo “Suécia – um governo pelo PLH”

O Dia Mundial do Português como Língua de Herança (PLH)

Por Luciana Lessa, PhD
Coluna Falando

Como foi anunciado recentemente, a Brasil em Mente, em parceria com outras diversas iniciativas que promovem o ensino do Português como Língua de Herança, está propondo a criação de um dia especial dedicado para o PLH. Essa proposta é uma forma de homenagear o crescente e importantíssimo trabalho desenvolvido por professores, colaboradores e famílias que tanto se esforçam e se dedicam em quebrar limites e barreiras, mantendo vivo o Português e sua cultura, onde quer que a vida os leve.

O desejo é de que, a partir de agora, todo ano, no dia 16/05, possamos ter a oportunidade de comemorar o sucesso, a superação de desafios, e a importância do PLH de maneira integrada e com um grande espírito de união, por mais que estejamos distantes geograficamente uns dos outros. A escolha do dia 16/05 está explicada aqui.

Screen Shot 2014-05-13 at 7.23.05 AM

A felicidade de ver, a cada dia, mais e mais iniciativas se juntando e dando força à criação do Dia Mundial do PLH é imensa! O ensino do Português pelo mundo como uma língua de herança representa exatamente isso: um campo de trabalho que une diversas pessoas em objetivos e desafios em comum, sejam essas pessoas os profissionais envolvidos, os pais ou as crianças.

Gostaríamos de ressaltar que o grande sucesso que as iniciativas voltadas ao ensino do PLH tem tido se deve, quase que exclusivamente, à visão, à paixão e ao empreendimento de pessoas que, mesmo sem qualquer apoio financeiro, arregaçam as mangas e começam a plantar as sementes do Português pelo mundo afora.
Esses profissionais merecem todo o reconhecimento e reverência, afinal de contas, o que eles proporcionam às famílias que participam de suas iniciativas é decorrente de muito trabalho: como pesquisadores, como professores, como orientadores e apoiadores das famílias e como desenvolvedores de estratégias maravilhosas para que o Português siga fazendo parte ativa da vida das famílias que possuem raízes em qualquer um dos países luso-falantes.

Vamos lutar juntos para que o dia 16/05 seja um dia feliz de celebração e de reconhecimento a todos que realizam o extraordinário feito de promover o Português como Língua de Herança. Você trabalha em uma iniciativa assim? Entre em contato! Junte-se a nós!

Luciana Lessa é Doutora em Linguística, é parte do corpo docente da Georgia State University e participa de importantes grupos de discussão sobre a aquisição da linguagem falada e escrita. É autora da coluna Falando na Plataforma Brasileirinhos e diretora do grupo de discussão e formação de professores da Brasil em Mente.

16 de maio – Dia do português como língua de herança

Editorial
Por Felicia Jennings-Winterle
Plataforma Brasileirinhos, Editora

É com muita honra que anunciamos uma iniciativa coletiva que reúne a Brasil em Mente e diversos promotores do português como língua de herança ao redor do mundo. No dia 16 de maio estaremos comemorando pela primeira vez o Dia do Português como Língua de Herança.

O objetivo da criação de um dia especial para a comemoração do português como língua de herança (PLH) é celebrar essa especialidade do ensino/promoção da língua portuguesa e as iniciativas tão diversas que se propõem a disseminar esse legado linguístico-cultural.

Continuar lendo “16 de maio – Dia do português como língua de herança”